QUA O PAPEL DA FAMÍLIA DE UM PORTADOR DE DOENÇA NEUROLÓGICA

Quem sofre de algum problema neurológico pode ter sua vida social e seu convívio familiar afetados pela doença. Mas, na verdade, o contrário deveria ser a regra e não a exceção: o apoio dos familiares de paciente com distúrbios neurológicos se mostra fundamental.

É importante reunir a família e conscientizar sobre as capacidades e limitações do paciente. E alertar a todos que o isolamento e a solidão são altamente prejudiciais - esses indivíduos nunca devem ser excluídos de reuniões festivais ou datas importantes que agreguem toda a família.

Discutir entre os familiares uma divisão de tarefas e uma reorganização de papéis evitará que somente um fique sobrecarregado como cuidador. Caso todos os membros dediquem um tanto de seu tempo para auxiliar o paciente, nenhum cuidador ficará stressado ou cansado demais - essa é uma alternativa bastante eficaz.

Aos cuidadores são designadas tarefas como garantir a segurança, o conforto, a higiene e a alimentação do paciente; auxiliar a adesão e manutenção do tratamento da doença; oferecer afeto e reforçar vínculos de amor e confiança; possibilitar a maior autonomia possível ao paciente (não fazer aquilo que ele é capaz de realizar, pois até mesmo as pequenas conquistas elevam a auto-estima, proporcionando bem estar ao paciente); e tomar decisões pelo paciente em casos de risco.

A família, ao receber um diagnóstico de doença neurológica, deve manter-se unida e aberta a mudanças: adaptações na rotina, na casa, na vida financeira, na esfera emocional e social e nos planos a médio e longo provavelmente irão ocorrer. O importante é encarar os desafios de frente e lembrar que amor e carinho são indispensáveis para um bom progresso do paciente.

Referências

http://abraz.org.br/orientacao-a-cuidadores/cuidados-com-o-familiar-cuidador

http://www.doencadealzheimer.com.br/index.php?modulo=pacientes_livreto

09/02/2017
09:00

AGENDE UMA CONSULTA

!
!
!
!