DORES NAS COSTAS: QUAL O MELHOR TRATAMENTO?

      O dor lombar é um sintoma muito comum, estima-se que cerca de 60% das pessoas vão apresentar uma dor lombar ao longo do período de um ano e até 80% podem ter esse sintoma ao menos uma vez na vida. Na maioria das vezes (cerca de 80%) trata-se de episódio único, apresentando melhora espontânea ou com analgésicos simples, não sendo preciso maiores intervenções.

CAUSAS
      
Várias situações podem causar dores nas costas, desde doenças clínicas que nada tem relação com a coluna como a pancreatite, até situações graves como tumores ou fraturas espontâneas na coluna vertebral. Na maioria das vezes, por sorte, as dores nas costas não representam risco maior aos pacientes, tendo um tratamento relativamente simples, mas que requer colaboração mútua. O processo degenerativo da coluna é um dos principais fatores que leva o paciente a apresentar dor lombar. Por vezes, o desgaste das articulações, degeneração crônica e aumento de estruturas ósseas podem provocar instabilidades da coluna e compressão nervos, levando a dor nas costas e até sintomas nas pernas.

DIAGNÓSTICO
      O primeiro passo no diagnóstico é diferenciar a dor crônica da aguda, ou seja, é uma doença que começou há pouco tempo ou tem uma duração maior? Piorou recentemente? A dor irradia (espalha) para outros lugares? Existem sinais de alerta como febre, perda de peso ou uma dor nova que se iniciou após os 50 anos? Baseado nessas perguntas o médico vai formular as hipóteses diagnósticas iniciais e seguir com a investigação.
      RX da coluna e outros exames de imagem são de grande auxilio no diagnóstico das dores nas costas, mas em nenhum momento eles substituem uma boa história e um exame clínico realizado pelo médico, pois, principalmente a ressonância é capaz de detectar alterações que nem sempre estão relacionadas com a dor do paciente.

TRATAMENTO
      Boa parte dos pacientes não precisa de tratamento complexos para resolver a sua dor nas costas. Entretanto, a adesão ao tratamento é um fator determinante para o sucesso. Em casos de lombalgia crônica, ao contrário do que é extremamente propagado, o repouso ou afastamento das atividades de trabalho não traz benefício ao paciente. Pelo contrário, atividade física para fortalecer a musculatura paravertebral e abdominal e perda de peso são fundamentais para o tratamento das dores quando o dano estrutural à coluna não é tão evidente. A fisioterapia é fundamental nesse início de processo, podendo após a um tempo de treino ser continuado por um profissional da educação física. Para casos mais graves, pode-se usar métodos minimante invasivos que auxiliam no alívio da dor como a infiltração com corticoide ou denervação de facetas por radiofrequência (no caso da dor facetaria). Muitos pacientes, por terem uma dor crônica, vão apresentar transtornos depressivos e de ansiedade, para esses o acompanhamento psicológico e psiquiátrico auxilia muito no processo de alívio da própria dor e adesão tratamento. A cirurgia está indicada, principalmente, quando existe instabilidade na coluna vertebral ou compressão de estruturas do sistema nervoso causando os sintomas do paciente, felizmente é reservada a uma minoria de pacientes.
      O tratamento da dor nas costas, portanto, passa inicialmente por uma boa avaliação médica, mas o seu sucesso depende muito da adesão do paciente e de uma boa rede multidisciplinar que deve contar com fisioterapeuta, nutricionista, psicólogos e educadores físicos.

08/08/2019
09:00

AGENDE UMA CONSULTA

!
!
!
!