A INFLUÊNCIA DO CÉREBRO NO PROCESSO DE EMAGRECIMENTO

A preocupação para perder peso corporal e se tornar uma pessoa saudável é algo bastante recorrente nos dias de hoje. Entretanto, de um lado, há pessoas que buscam constantemente uma qualidade de vida por meio de dietas e exercícios físicos. Do outro, há pessoas que estão acima do peso, com a saúde estagnada devido à correria diária, falta de força de vontade, dentre outros motivos.

Segundo a pesquisa do Ministério da Saúde, 52,2% dos brasileiros adultos estão acima do peso. Foi comprovado, também, que alguns fatores são responsáveis por esse número, como a ingestão de comidas prontas, refeições rápidas, o pouco tempo de descanso, horas a mais de trabalho e pouco espaço para se preocupar com si próprio e sua saúde. Independente de qual lado você esteja, é importante entender como funciona o nosso organismo e o processo de emagrecimento.

O metabolismo é um dos fatores mais importantes nesse processo. Ele atua de forma específica em cada indivíduo, ou seja, alguns processam o alimento de forma mais rápida e outros possuem mais dificuldade para fazer a digestão. Sendo assim, você provavelmente já se perguntou porque algumas pessoas emagrecem rápido e outras não. Isso tem explicação e o cérebro é um dos principais fatores para que isso ocorra.

O comando de todo o corpo humano está no cérebro. Ele é o principal órgão do sistema nervoso, senão o mais importante, e todas as nossas ações físicas o afetam. Mas você sabia que é possível induzi-lo? Para aqueles que acreditam que é impossível sobreviver às tentações gordurosas estando na dieta, a solução é ensinar ao cérebro o seu novo estilo de vida e alimentação. Deve-se fazer isso, pois ele leva um tempo para entender que o corpo está emagrecendo. Ensiná-lo, com paciência e persistência, pode ser enriquecedor para a sua dieta e seu processo de emagrecimento.

Contudo, para emagrecer não é apenas educar o cérebro, ter força de vontade, realizar exercícios físicos e dieta. Existem alguns fatores que contam também na hora de preparar o seu corpo para essa mudança, como genética, idade, composição corporal e hormônios.

Genética: Esse fator é crucial. Como cada um tem a sua, cada um deve ter a sua dieta e o seu plano de exercícios. A genética deve ser respeitada, pois os hormônios da fome (grelina) e da saciedade (leptina) podem agir de forma diferente em cada organismo. É importante ressaltar que a genética não é uma regra, por exemplo: pais obesos, filhos obesos. É possível reverter esse processo.

Idade: Com o tempo o metabolismo do ser humano vai desacelerando. Após os 25 anos, o corpo começa a envelhecer. Perder dois quilos aos 20 anos pode ser fácil, já aos 30 pode ser um sacrifício. Quanto antes mudar o seu estilo de vida, melhor. Se você for mais jovem, mais fácil de perder peso.

Composição Corporal e hormônios: Quem tem mais peso tem a tendência de perder mais também. Se na composição corporal tem mais músculo que gordura, a perda de peso se torna fácil, uma vez que é o músculo que consome mais energia. Antes de iniciar o processo, é importante fazer exames laboratoriais para checar a saúde hormonal.

É essencial ter o acompanhamento de um especialista e ter a consciência de que pode sair da dieta de vez em quando, mas com moderação - sempre!

08/02/2018
09:00

AGENDE UMA CONSULTA

!
!
!
!